22 julho, 2010

UMA RELÍQUIA.


O meu amigo Américo Magalhães (Méquinho), enviou-me (nos) esta extraordinária fotografia que encontrou no espólio de seu pai. Pensa que algum destes atletas teria afinidade com o seu avô, pois só isso seria razão para a foto estar em sua casa.
Pela data escrita, o Fluvial estaria a dois meses de completar dez anos, pois foi fundado a 5 de Dezembro de 1905, e cujos estatutos foram elaborados pelo Dr. Manuel da Cunha Reis, avô, do também meu amigo, Romeu Cunha Reis.
Pode ainda ver na foto, que por baixo da data indicada, se pode ler : " FOTO ADRIANO "

10 comentários:

Anónimo disse...

Esta foto, deve dizer respeito a um encontro que ocorreu em Vila do Conde, no dia 26 de Setembro de 1915, entre o Clube Fluvial Vilacondense e o Viana Taurino Club.Foi um dia em cheio, amplamente noticiado no jornal O Democrático, no seu nº 122.Depois da chegada dos visitantes no combóio das 9-15h, foram recebidos na estação pelos amigos do Fluvial e acompanhados pela Banda de música dos Bombeiros de Retorta(? possivelmente da Cª Rio Ave). Em cortejo, seguiram para a Câmara Municipal.No cortejo figuraram também as bandeiras do CCO, dos Bombeiros Voluntários, da Associação de Socorros Mútuos e da Associação Quatro Artes.Depois da recepção na Câmara Municipal, pelo vereador dr. Bernardino Andrade, seguiu o grupo para o Fluvial.A regata, marcada para as 15,30h, teve lugar muito mais tarde, pois foi preciso esperar pela descida da maré.A 1ª corrida, em escaler de 4 remos disputada com Viana, foi ganha pelos vila-condenses, assim como a segunda com o Porto. Esta foto deve dizer respeito a uma das tripulações( até pode ser a mesma nas 2 provas) destas duas corridas, de que o jornal não dá conta dos nomes. À noite, teve lugar o "brilhantíssimo sarau dramático- musical no Teatro Afonso Sanches", com entrega prévia das medalhas aos vencedores.Foi uma jornada de grande festa e confraternização, pese embora alguns aborrecimentos com o acompanhamento musical.
Este grupo, deve ter ido, no dia 3 de Outubro,"tirar o retrato"pois a data inscrita não condiz com a da regata.Esta situação era muito frequente, acontecendo em ocasiões especiais como casamentos e baptizados: os interessados depois do dia, vestidos a rigor iam ao fotógrafo imortalizar a data.
Marta Miranda

rouxinol de Bernardim disse...

Adriano, o imortizador...

Anónimo disse...

quem diria que o cereja tem uma adversária à altura?

a.h.

Anónimo disse...

adversária com aspas é claro, assim "adversária"

a.h.

Faria Correia disse...

Trata-se, sem nenhuma ponta de dúvida, de uma relíquia fotográfica e histórica.
Todavia, sem questionar, quer de perto nem de longe, a magnifica me elucidativa página da autoria da Doutora Marta Miranda, quero deixar um pequeno nada da história do Fluvial. Este Clube já existia em 1888, senão em 1887, mas sem legalização, que ao tempo era efectuada no Governo Civil.
A data de 5 de Dezembro de 1905 diz respeito, porconseguinte, à da acta necessária para se proceder à legalização. Se dúvidas houver...
leiam-se oe periódicoa da época.
O seu a seu dono.

José Cunha disse...

Humberto, aquilo a que te referes, aconteceu no Ginásio Clube Vila condense, pois legalmente funciona desde 1963, mas na realidade, todo o espírito que ainda hoje pervalece graças ao Eduardo Pinto, já antes de 63 existia.
Assim, agradeço á Doutora Marta Miranda, o ter dado voz a esta fotografia, pois é essa a minha busca.

José Cunha disse...

Onde se lê pervalece, leia-se prevalece, .... deverá ser a hora tardia a que estou por aqui, que já me está a perturbar.

Faria Correia disse...

Obrigado Amigo Zé Cunha. Mas, há sempre um mas, que por vezes não é o que os outros podem aceitar.
O Ginásio saiu de um grupo de jovens que se reuniam na casa onde morava o nosso amigo comum, Américo Magalhães, hoje a residir em Esposende. Contudo esse grupoque gerou o Ginásio, era um grupo de manores, que mesmo se intitulando de "Ginásio", não pode oferecer uma idade, de 1963,dado que o dito clube não podia ser legalizado, dada a falta de capacidade jurídica dos seus ditoa associados. (Leia-se o Código Cívil, no capitulo respectivo). Daí só a data de fundação ser outra, ou seja a da legalização.

Anónimo disse...

ah, ah, ah, ah,ah,ah...
é que o cereja não anda à compita!
muito menos com a dita...

a) Cereja

Anónimo disse...

Ora bem,caro Sr.Correia,se o glorioso Fluvial já existia em 1988,mas sem legalização,porque não reconhecer a existência do Ginásio Vilacondense a partir de 1963?Trouxas de todo não eram os seus fundadores.