19 julho, 2010

A PÉRGOLA DE AZURARA.


VARANDA SOBRE A FOZ DO AVE, cujo autor do projecto foi o senhor Eng. Carlos António Côrte-Real, em finais dos anos quarenta e antes de ingressar na fábrica Rio Ave, onde foi o seu mentor, e implementando a criação do Infantário, Creche, e Bairro Social, tornando-se assim a primeira fábrica em Portugal a dar tais infra-estruturas aos seus trabalhadores.
Antes de ter concebido esta pérgola, construiu também a da Foz do Douro, belíssima como sabem, tornando-se esta uma réplica, mais pequena, mas com elementos semelhantes à do Porto.
Nestas fotos acima, o cimento ainda cheiraria a fresco, pois foram captadas em 1952.
Os dois adultos visíveis na foto de cima, eram dois amigos de meu pai, e infelizmente já falecidos, e quanto á criança, é este vosso repórter, com a idade de 4 anos.

6 comentários:

Anónimo disse...

Pérgula,já agora,perdão...
E não sobra nada sobre a assustadora panorâmica actual que dela hoje se pode colher?
Será que teremos respeitado,então,relevantes vultos do passado,que engrandeceram,desinteressadamente, a nossa terra?

José Cunha disse...

Agradeço sempre qualquer correcção, deverei por vezes enganar-me, mas desta vez deverei lhe dizer que pérgola ou pérgula, significam a mesma coisa, e pode se escrever das duas maneiras.
Mas, obrigado.

rouxinol de Bernardim disse...

Que duas grandes pérgolas;: a lítica e a humana!

Estava frio, o sobretudo indicia...

Anónimo disse...

O Rouxinol, pia, pia.
E a melodia?...

Anónimo disse...

O Rouxinol, pia, pia.
E a melodia?...

Feria Correia disse...

Quanto à "Companhia Rio Ave", com sede no Porto, fundada em 1888, como companhia por acções, e que foi uma das instituições fabris mais bem dotadas, há a esclarecer um pormenor interessante. A Escola Primária, para os dois sexos, a Creche e o Bairro Operário foram inaugurados em 1933.
Eram directores, nessa altura, os senhores António Cândido Coelho e Manuel Alves Viana. O gerente técnico era o senhor Engenheiro Corte Real.