04 setembro, 2009

MANUEL ADRIANO.

Dias atrás, e com o título de postagem - UM QUADRO PINTADO A ÓLEO - mostrei esta imagem que está assinada por M. ADRIANO, e sobre o qual tentei saber de quem se tratava, e, o "Cereja"fez o favor de me enviar um texto de FARIA CORREIA, e publicado no "Correio da Junqueira"em 26-11-2002, o qual vou transcrever :
.
No edifício da antiga Casa dos Pescadores, no cotovelo das escadas que ligam o rés do chão ao primeiro andar existe um quadro em tela, representando um pescador de pé, fumando cachimbo e olhando o mar, encostado a um barco varado na areia.
Contém assinatura e data, M. Adriano 1942. Infelizmente a tela está rasgada em dois sítios que algum energúnemo lhe fez.
Vejamos quem pintou este quadro : Manuel Adriano, filho de João Adriano e de D. Adozinda da Conceição, nasceu em Vila do Conde a 5 de Abril de 1891 e aqui faleceu a 8 de Maio de 1944, no estado de casado com D. Inácia Soares Galiza.
Foi membro de uma conhecida família que se notabilizou nas artes pictórica e fotográfica, enriquecendo o património vilacondense e não só. Dificuldades económicas levaram-no a emigrar para o Brasil onde permaneceu vários anos, tendo regressado por repatriação, dada a sua debilidade financeira, na companhia de sua esposa e filho.
Autor de vários quadros de alminhas existentes nas freguesias deste concelho, dedicou-se também a douramentos de igrejas e capelas e ao restauro de pinturas, bem como à elaboração de diversos cenários para o desaparecido Teatro Afonso Sanches. Pintava paisagem e retrato que podemos observar na Ordem Terceira de S. Francisco, Santa Casa da Misericódia, Círculo Católico de Operários, capelas de Nossa Senhora do Desterro, e Nossa Senhora da Guia, e em várias casas particulares.
Pintor por apetência nata, mas não tendo obtido diploma em Curso Superior nem participado em exposições glorificadas pela comunicação social, foi votado ao esquecimento, embora tal não mereça.
Aqui fica esta pequena resenha e o pedido de restauro para o quadro que expressa um tema desta terra, o pescador. Não conhecemos quem é a entidade proprietária da obra em causa, mas sabemos que é objecto digno de figurar no MUSEU DE VILA DO CONDE.
.
NOTA - Agradeço ao "Cereja" o envio deste texto, pois tal contribui para que todos fiquemos a saber quem foi o autor de tão importantes obras sobre a nossa terra.