18 dezembro, 2006

Arqueologia

"O teu avião é um dos Fokker T.III W (Nº26), adquiridos pela AN (Aviação Naval) na Holanda em 1924, hidroavião similar ao que Sacadura Cabral perdeu a vida, no voo ferry para Portugal, no Mar do Norte.Foram adquiridos 5 e a AN matriculou-os de 25 a 28, todavia o que se perdeu no Mar do Norte nunca recebeu matricula.O que seria o nº 25, foi o primeiro recebido, veio pilotado por Sacadura Cabral, tendo descolado de Amesterdão no dia 30 de Agosto de 1924 e aterrou na Amadora no mesmo dia.Este foi o primeiro e único que veio equipado com trem de rodas, para posteriormente operar na AN, com flutuadores.


O da tua foto, o nº 26, fazia parte do lote de três descolados da Holanda com flutuadores, dos quais só dois chegaram a Lisboa, o outro perdeu-se no Mar do Norte com Sacadura aos comandos.Saíram da Holanda em 15 de Novembro de 1925.O último fornecido veio por via marítima e chegou a 28 de Dezembro de 1925.O nº 26 foi retirado do serviço nos finais de 1926, após ter sofrido um grave acidente numa amaragem no Tejo, nesse mesmo ano.


Daí, a tua magnifica foto foi quase seguramente obtida no ano de 1925 ou nos primeiros meses de 1926.O nº 25 foi usado em 20 de Abril de 1926 numa tentativa de ligação Lisboa - Funchal - Ponta Delgada - Lisboa.Quando já se encontravam perto do Funchal, condições de má visibilidade e sobreaquecimento do motor, levaram os tripulantes a amararem no Atlântico. Foram encontrados por um barco de pesca a 13 Km do Funchal.Depois de reparado e resolvidos vários problemas burocráticos, partiram do Funchal a 9 de Maio com destino aos Açores.Já neste arquipélago o motor veio a falhar de novo e amararam em Santa Maria.Depois de reparada a avaria, voaram para S. Miguel, onde amararam em Vila Franca, para finalmente chegarem a Ponta Delgada no dia seguinte.


A Armada não autorizou o voo de regresso, tendo o hidro sido desmontado e regressado a Lisboa de barco.Este Fokker foi o único que recebeu um nome de baptismo - Infante de Sagres. "

José Vilhena


Para quem se interesse pela História da Aviação Portuguesa,sugiro uma visita ao site Voa Portugal,onde o José Vilhena e outros têm produzido um notável trabalho de recolha documental e fotográfica . http://www.voaportugal.org/



A cena passa-se em 1930,por ocasião das festas do Carmo.O avião era pilotado pelo 1º Tenente Reboredo e era uma das atracções incluída no programa de festas.Fica assim completa a investigação e corrigida a data.








O avião está identificado e datado. Mas a cena do homem a fazer "rapelle" sobre a ponte ... quem a identifica ?



2 comentários:

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,

Faria Correia disse...

O hidroavião, um Foker, a que se referem, esteve efectivamente em Vila do Conde, sendo pilotado pelo tenente Neves Ferreira, por ocasião das Festas do Carmo, em 1 de Agosto de 1928 e não em 1930. A este assunto se refere a revista "Vila do Conde", nº 2, de Carlos Adriano, Júlio Lopes da Ailva e Dario Valongueiro, de Setembro do dito ano. Também a Papelaria e Tipografia do Ave, da Familia Campos, editou uma sériede postais, sendo um deles "um hidro no Ave".